Clínica Cyrne: Medicina Dentária Personalizada

“Quando arrancou, em 2005, a Clínica Cyrne tinha apenas um gabinete dentário e um único médico dentista. O seu fundador, Filipe Cyrne, percebeu que a medicina dentária só faz sentido quando é realizada com tempo, investimento e de forma personalizada. Hoje, a clínica cresceu, ganhou estabilidade e 2020 é o ano de aposta na formação.”.

Quando se candidatou à faculdade, Filipe Cyrne estava indeciso entre medicina dentária e engenharia informática. Desde miúdo que sentia apetência por computadores, o que acabou por vir a ser útil na carreira que escolheu. Perdeu-se um engenheiro informático, mas manteve-se a curiosidade, a aposta na inovação e as tendências digitais. Licenciou-se em Medicina Dentária, em 2003, no Instituto Superior de Ciências da Saúde Sul – Cooperativa de Ensino Superior Egas Moniz e, desde então, não mais parou de aperfeiçoar conhecimentos e de apostar na formação.

Foi durante este processo que descobriu a paixão pela área de implantologia e de cirurgia guiada, que já realiza há cerca de seis anos.

“Recolhemos dados e exames dos pacientes e usamos um software para produzir uma guia que é usada durante a intervenção para nos orientar na posição exata do implante que foi predeterminada no planeamento anterior” explica.

Os desafios, no começo, foram muitos: as marcas da indústria ainda não tinham as ferramentas para a realização de cirurgia guiada.

“Inclusive, tinha de misturar implantes de uma marca com materiais de outra, pois as empresas ainda não apostavam muito nesta área.”

Depois de ter trabalhado em consultórios generalistas, rapidamente percebeu que a aposta num negócio próprio seria essencial na sua carreira, sobretudo porque não se identificava com a prática clínica estabelecida nos locais por onde passou. Fundou a Clínica Cyrne há 15 anos, dois anos depois de se ter licenciado.

“Algumas clínicas por onde passei tinham acordos com a ADSE e privilegiavam o atendimento do cliente, mais pela quantidade em termos de volume, do que propriamente pela qualidade.”

Queria ser diferente, apostar na vertente qualitativa, ter liberdade para realizar tratamentos melhores sem estar pressionado com os budgets impostos pelas entidades seguradoras ou por tempos condicionados na agenda.

“Gosto de trabalhar com pontualidade com os pacientes, não gosto de ter pessoas na sala de espera, de estar sujeito e pressionado por timings. Além disso, prefiro usar equipamentos e materiais de qualidade.”

Só com o investimento numa Clínica privada conseguiria promover uma medicina dentária personalizada e, em simultâneo, ter condições de trabalho para que os profissionais que com ele trabalham se sentissem motivados.

Quando abriu portas, na Amadora, Filipe Cyrne era o único médico dentista (assegurava todas as especialidades), havia apenas um gabinete dentário e a carteira de clientes era muito reduzida. “Começámos mesmo do zero”, afirma. O objetivo era proporcionar um tratamento individualizado e essa acabou por ser a sua melhor publicidade.

“Os pacientes que lá iam, apesar de serem poucos no início, acabaram por trazer a família, os amigos e foi o ‘passa a palavra’ que funcionou melhor.”

Rebranding chegou em 2015

À medida que a clínica foi crescendo, começou a apostar em novas especialidades, como a ortodontia, assegurada pela médica dentista Vera Paulino e a odontopediatria, da responsabilidade da médica dentista Filipa Chasqueira.

“Comecei a delegar mais e a especializar-me em implantologia através da realização de vários cursos”, conta o diretor clínico.

No entanto, o médico dentista continua a praticar alguma clínica generalista, uma vez que alguns clientes o acompanham desde o arranque da clínica. Filipe Cyrne faz questão de manter esta ligação ao longo do tempo.

Às médicas dentistas que integraram a equipa, juntaram-se mais três, dedicadas à medicina dentária generalista: Joana Marques, Susana Abreu e Sofia Ambrósio.

A Clínica Cyrne conta ainda com três assistentes dentárias (incluindo a rececionista), uma gerente e uma pessoa responsável pelo marketing e redes sociais.

Mais tarde, foi tomada a decisão de abrir outro gabinete dentário que, inicialmente, serviu como teste para consultas de outras especialidades médicas.“Rapidamente percebi que o foco deveria ser a medicina dentária”,partilha. Tentou, então, ser um pioneiro da inovação tecnológica:“Precisamos de bons equipamentos para trabalhar com qualidade e, por isso, fui investindo sempre. Há cerca de oito anos, comprei um CBTC numa altura em que a generalidade das clínicas ainda não tinha este equipamento”, refere. A aposta na inovação acabou por criar um upgrade na qualidade pela qual a clínica sempre se pautou.

“Temos vindo a acompanhar o aparecimento de novos tratamentos para proporcionar um serviço de última geração”.

Em 2015, Filipe Cyrne achou que era chegado o momento de realizar uma remodelação total da clínica.

“Fizemos uma renovação e melhoria da imagem, do logótipo, e criámos a imagem de marca que se mantém até hoje.” Até essa data, a clínica chamava-se Centro Médico e Dentário Dr. Filipe Cyrne, mas passou a intitular-se Clínica Cyrne. Em simultâneo, a equipa foi crescendo. Mais recentemente, há cerca de dois anos, chegou o momento de investir num scanner intraoral.

“Atualmente fazemos tratamentos totalmente digitais, do início ao final” explica o diretor clínico. A clínica está hoje apetrechada com cinco impressoras 3D que imprimem modelos, guias cirúrgicas e são utilizadas nas cirurgias guiadas. E esta é uma realidade desde há muitos anos.“A mão humana é cada vez menor, o que leva a um menor erro e a uma maior precisão.”

A área digital também está presente nos contactos com a clínica, sendo possível recorrer ao Messenger, ao WhatsApp, ao e-mail e ao próprio site para pedir informações.“Não temos marcação de consulta online ativa, mas temos um formulário no site para que o doente proponha uma data e hora da sua preferência. Nós é que gerimos os nossos horários e privilegiamos os contactos telefónicos para perceber o que se passa com determinado doente e qual o grau de urgência” salienta o médico dentista.

A clínica está também presente no Facebook e no Instagram, estando uma pessoa a trabalhar a tempo inteiro nesta área e no marketing.“Colocamos alguma informação nas redes sociais e no site sobre factos relacionados com medicina dentária e algumas curiosidades que vão educando os nossos pacientes. É preferível aceder a informação facultada por pessoal especializado do que recorrer a sites pouco fidedignos.” As consultas agendadas são recordadas via telefone no dia anterior e, ao final de seis meses, na altura da consulta de higienização e de rastreio oral, é enviado um SMS como lembrete para todos os pacientes.“Estas funcionalidades permitem-nos evitar ficar com espaços de agenda vazios”,explica.

A clínica, aberta de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h30, e aos sábados, das 9h30 às 13h, nunca fecha para férias.

Colocar o digital ao alcance dos profissionais de saúde oral

A aposta mais recente prende-se com a formação na área digital. Como mencionado no tema de capa desta edição, existem formações que permitem aos médicos dentistas fazer a transição de tratamentos mais convencionais para outros, tecnologicamente mais evoluídos. Com as especializações que tem feito no País e no estrangeiro, Filipe Cyrne decidiu criar uma outra empresa, que funciona em complemento da clínica e que arranca, em pleno, neste ano de 2020 com o objetivo de promover cursos para médicos dentistas e assistentes dentárias.

Assim, surgiu o Digital Cyrne – Centro de Formação em Medicina Dentária Digital, inaugurado a 14 de dezembro.

“Esperamos facilitar a transição do analógico para o digital aos médicos e às assistentes que entendam fazê-lo. Isto passa por colocar o digital ao alcance de outros profissionais de saúde oral”

Explica o médico dentista, que assume o cargo de coordenador científico deste projeto.

A inauguração do centro aconteceu no final de 2019, tendo sido criado um workshop gratuito na área de cirurgia guiada“que teve grande adesão”. A Digital Cyrne está devidamente apetrechado de meios audiovisuais de última geração, como vídeo em 4K, que permite a filmagem na sala de tratamentos na clínica e a exibição no LCD da sala de formação.

“Temos um microscópio visualizador HD, que é uma espécie de câmara que amplia o que está a ser feito manualmente pelo formador e que permite aos formandos observarem em tempo real. Contamos ainda com um laboratório 3D com algumas impressoras para a realização de sessões hands-on e para poder prestar serviço paralelo à clínica, que fica ao lado.” Já existem formações na forja, com datas que serão fechadas em breve.

“Vamos ter um curso de impressão 3D para médicos dentistas e técnicos. Dentro deste, estamos a criar uma ‘Dental 3D Printing Party’. Serão dois dias de um curso ministrado por um médico americano bastante conhecido, o Dr. August de Oliveira. Como orador experiente, está perfeitamente à vontade para abordar a área digital. Temos estado a preparar o programa em conjunto. Vamos reunir várias marcas de tecnologia, vamos chamar os médicos dentistas e ensiná-los a trabalhar com os equipamentos e a conhecer as várias soluções que a impressão 3D oferece” salienta o coordenador científico.

Para ter mais informações sobre os cursos programados, basta aceder ao site Digital Cyrne Filipe Cyrne destaca o interesse demonstrado por assistentes dentárias em frequentarem estes cursos.

“É importante não nos esquecermos da formação digital para estas profissionais, porque têm de adquirir novas competências e novos conhecimentos, uma vez que é preciso saber manusear equipamentos digitais. Só profissionais bem treinados tornam os procedimentos mais céleres.”

Fonte: Revista saúde oral bimestral nº 130. Texto: Cláudia Pinto. Fotografia: Rodrigo Cabrita.

O que é o Diastema?

Conhece a Madona e o espaço entre os dentes que lhe é característico?

Diastema é o nome clínico usado para designar os dentes separados. Na verdade, os diastemas são uma das muitas situações de mau posicionamento dentário, que na maior parte das vezes ocorre nos dentes anteriores do maxilar superior (incisivos).

No diastema, os dentes estão abertos ou afastados deixando uma lacuna ou espaço entre os dentes que tende a ser mais inestético quanto maior for o “espaço”.

Esta é uma situação que, em alguns casos, pode interferir com a autoestima da pessoa, sobretudo quando isto acontece nos dentes da frente.

Esta situação pode ser corrigida ou por razões estéticas ou por motivos de ordem funcional ou de má oclusão.

Causas

As causas que levam ao aparecimento de diastemas podem estar relacionadas com a desproporcionalidade entre o tamanho dos maxilares e o tamanho dos dentes. Esta característica tende a ser genética e como tal pode ser transmitida nos genes de pais para filhos.

Outras causas que podem levar a diastema são por exemplo, a ausência de erupção de algum dente (agenesia), muitas vezes uma causa hereditária, ou pela perda de algum dente. Nestes casos, os dentes afastam-se ou desencostam uns dos outros pelo espaço excedente.

A inserção baixa do freio labial também é uma característica que origina diastemas com frequência, embora neste caso normalmente são localizados entre os dois incisivos centrais (diastema interincisal).

Existem outras causas menos frequentes, relacionadas com hábitos de sucção e uma atividade excessiva ou parafuncional da língua que originam desequilíbrios no desenvolvimento dos maxilares e também por traumatismos e problemas periodontais, isto porque a perda de tecido ósseo e gengival dos dentes tende a originar mobilidade e com isso a sua movimentação.

Diastema – Tratamento

A ortodontia é a especialidade relacionada com o estudo, prevenção e tratamento das alterações do posicionamento dos dentes e com o crescimento e o desenvolvimento dos maxilares.

O tratamento para diastema com a intenção de fechar ou unir os dentes afastados, difere de acordo com a causa que provoca esta situação.

Na grande maioria dos casos, em adolescentes e jovens recorre-se ao tratamento ortodôntico, que passa pela utilização de um aparelho ortodôntico ou aparelho dentário, usado para corrigir ou alinhar a posição dos dentes, incluindo as situações de dentes afastados ou diastemas.

O tratamento ortodôntico é realizado através de forças exercidas nos dentes por um aparelho de modo a juntar os dentes, selecionado de acordo com o diagnóstico efetuado. Corrigir os dentes com esta técnica permite manter os dentes íntegros, o que não acontece com o recurso a prótese fixa pois esta implica sempre alguma invasão e comprometimento da estrutura dentária.

No caso do tratamento em adultos que não queiram ou não seja adequado o tratamento ortodôntico, existe a possibilidade de fechar os espaços ou diastemas recorrendo à prótese fixa, através da colocação de pontes, facetas dentárias ou coroas nos dentes com diastema. Esta técnica permite aumentar a dimensão da sua coroa até que se toquem interproximalmente.

O diagnóstico da causa e o tratamento adequado implicam sempre uma avaliação por parte do Médico Dentista.

Outros artigos interessantes:

Pontos Chave no Diagnóstico Precoce do Cancro Oral.

Facetas para uma Estética Perfeita.

Cirurgia Guiada de Implantes.

Fonte: saúde e bem-estar (online).

Pontos-chave no Diagnóstico Precoce do Cancro Oral

Cancro oral

Segundo a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) o cancro oral está associado a índices de mortalidade elevados, que se deve em grande parte ao seu diagnóstico tardio.

É definido pela Classificação Internacional de Doenças pelo conjunto de tumores malignos que afectam qualquer localização da cavidade oral, dos lábios à garganta, (incluindo as amígdalas e a faringe).

A localização mais comum é no pavimento da boca (mucosa abaixo da língua), bordo lateral da língua e no palato mole.

Mais de 90% destes cancros são designados por carcinomas e afetam o epitélio da mucosa oral.

Será o cancro oral frequente?

O cancro oral é mais frequente nos homens, acima dos 45 anos de idade, e aumentam consideravelmente até aos 65 anos. Revelam os dados estatísticos que o carcinoma da cabeça e pescoço é o 6º cancro mais comum em todo o mundo e corresponde a cerca de 2.8% de todos os cancros.

Quais os fatores de risco do cancro oral?

O tabaco e o álcool são os principais fatores de risco no desenvolvimento do cancro oral.

Estima-se que 8 em cada 10 doentes diagnosticados com cancro oral são fumadores ou já consumiram tabaco, sendo que estes doentes apresentam um risco 5 a 7 vezes superior de desenvolverem cancro oral, comparados com não fumadores.

Conclui-se que o cancro oral está fortemente associado a um estilo de vida menos saudável, relacionado com consumo de tabaco e álcool mas também ao fraco consumo de vegetais e frutas e por isso pobre em alimentos contendo antioxidantes.

Quais são os principais sinais e sintomas?

Os carcinomas da cavidade oral podem manifestar-se como uma mancha, que geralmente apresenta cor branca ou avermelhada, uma massa mais ao menos endurecida ou uma úlcera que não cicatriza.

Estas lesões são indolores na sua fase inicial e podem tornar-se progressivamente dolorosas.

O cancro oral continua a ter uma taxa de mortalidade bastante elevada, ainda que nos últimos anos tenham existido avanços no diagnóstico e tratamento. Os dados afirmam que 6 em cada 10 doentes de cancro oral morrem nos 5 anos após o diagnóstico.

Este insucesso está relacionado com a falta de diagnóstico atempadamente.

Assim, como podemos prevenir o cancro oral?

  • Adoção de um estilo de vida saudável;
  • Cessação do consumo de tabaco;
  • Diminuição do consumo de álcool;
  • Consumo regular de vegetais frescos e frutas como factor protector;
  • Visitas regulares ao médico dentista que permitam que tais lesões sejam diagnosticadas nas suas fases mais precoces.

Sabia que?

  • O cancro oral é o 6º cancro mais comum em todo o mundo;
  • Os principais factores de risco são o tabaco e o álcool;
  • Surge de uma forma assintomática, persistindo uma lesão por um tempo indeterminado, só se tornando dolorosa tardiamente;
  • O índice de mortalidade do cancro oral é elevado;
  • A chave para o seu tratamento é um diagnóstico atempado;
  • O risco de desenvolver um cancro na cavidade oral diminui com os anos de cessação tabágica. Após 15 anos da cessação, o risco aproxima-se dos valores de um não fumador.

É o médico dentista o responsável pelo estudo, prevenção, diagnóstico e tratamento das anomalias e doenças dos dentes, boca, maxilares e estruturas anexas, por isso, tem uma posição privilegiada para contribuir no rastreio precoce e prevenção do cancro oral.

Outros artigos que pode considerar interessantes:

Dentistas têm um papel crucial na deteção de doenças.

Periodontite sintomas e tratamentos.

O que é o abcesso dentário.

Fonte:Ordem dos Médicos Dentistas (online).

O natal está a chegar e a saúde oral devemos cuidar!

Com a chegada do natal vem o consumo de alimentos mais açucarados como o bolo-rei, o pão-de-ló, os sonhos, as filhoses, os frutos secos e as fatias douradas, normalmente, difíceis de resistir e consumidos a qualquer hora do dia.

É efetivamente uma época de excessos alimentares, principalmente de açúcares, que podem levar a sérias doenças, como a cárie dentária.

Por que podem este tipo de alimentos, consumidos em excesso, provocar cáries dentárias?

A cárie dentária é provocada pela ação de determinadas bactérias, existentes na cavidade oral, com os restos alimentares provenientes dos alimentos ingeridos. Esta ação pode ser a consequência que leva à destruição parcial ou total do dente.

As bactérias alimentam-se principalmente dos açúcares, transformando-os em ácidos que levam à desmineralização do esmalte dentário criando um ambiente perfeito para a formação de lesões de cárie na superfície dos dentes.

Se consumimos excessivamente este tipo de alimentos, devemos redobrar os cuidados de higiene oral, sobretudo nesta época festiva.

Assim, para evitar o aparecimento de cáries dentárias, devemos ter em atenção os seguintes cuidados de prevenção:

  • Escovar os dentes pelo menos 2x por dia com pasta fluoretada. A escovagem nocturna é a mais importante.
  • Passar o fio dentário ou escovilhão 1x por dia, idealmente a noite.
  • Mascar uma pastilha sem açúcar após as refeições, se não for possível a escovagem.
  • Visitar o seu Médico Dentista com regularidade.

Para um bom natal passar, da saúde oral deve cuidar!

Visite-nos!

Outros artigos que pode considerar interessantes:

Alimentação e saúde oral.

4 Dicas para manter a saúde oral nas férias.

7 Dicas para ajudar o seu filho a escovar os dentes.

Clínica Cyrne abre centro de formação em medicina dentária digital

A revista Saúde Oral fez uma entrevista ao Dr. Filipe Cyrne sobre o novo projeto lançado este ano – A Digital Cyrne. Deixamos as perguntas e respostas deste projeto que tanto nos orgulha.

Quando é que abriu a Clínica Cyrne e porque é que decidiram inaugurar este centro de formação em 2019?

A Clínica Cyrne abriu em 2005 e passados quase 15 anos de trabalho e dedicação aos nossos pacientes nasce um novo projecto: a Digital Cyrne – Centro de Formação em Medicina Dentária Digital.

O nosso foco na Clínica Cyrne foi sempre prestar um serviço de qualidade, personalizado a cada paciente e apostando em tratamentos de excelência.

Sempre seguindo esta linha orientadora, integramos actualmente uma das unidades mais modernas e completas na área da saúde oral no concelho da Amadora.

Ao longo destes anos temos vindo sempre a crescer e evoluir em termos de equipa, de serviços e de equipamentos tecnológicos.

Fomos umas das primeiras clínicas do país a ter CBCT. Oferecemos essa valência a nível da Imagiologia Digital há 8 anos, desde que esse tipo de equipamento foi introduzido no mercado.

A par da aquisição destes novos equipamentos e apostando na formação e na actualização contínua dos nossos médicos, surgiram também serviços inovadores como por exemplo, o tratamento ortodôntico com alinhadores invisíveis, o fluxo totalmente digital nos tratamentos reabilitadores e a técnica de Cirurgia Guiada de Implantes.

Porque sentimos que a Medicina Dentária caminha já na era digital, decidimos apostar na formação específica nesta área, por forma a auxiliar os colegas na adaptação e transição do mundo analógico para o mundo digital.

Oferecemos por isso cursos de scaneamento intra-oral, impressão 3d, cirurgia guiada de implantes, utilização de softwares CAD-CAM, planeamento, confecção de alinhadores ortodônticos invisíveis, entre outros.

É um enorme desafio, a possibilidade de utilização de novos meios tecnológicos e de novos materiais. Actualmente, desde o planeamento à execução, tudo passa por software, por computadores e pelo mundo digital.

No dia 14 de Dezembro será inaugurada oficialmente a Digital Cyrne com um Workshop inaugural leccionado por mim, com a temática “Provisórias imediatas e cirurgia guiada de implantes”.

Pretendem manter apenas o foco no Digital?

Sim, o nosso foco é o “Digital”. Esta área é já uma realidade e temos a certeza que a evolução da Medicina Dentária vai nessa direcção.

Uma grande parte dos colegas médicos dentistas têm poucos conhecimentos nesta área visto que são conteúdos que até há pouco tempo não faziam parte da estrutura curricular do curso de Medicina Dentária.

Queremos por isso ser uma mais-valia nesta área e colocar o “Digital” ao alcance de todos os profissionais de saúde oral.

Quem é que lecciona as vossas formações e onde é que estas são dadas ? Para quantas pessoas ? Têm instalações próprias na vossa clínica? Para quantas pessoas no máximo podem organizar estas formações?

Criámos um Centro de Formação com cerca de 100 m2 que fica contíguo à Clínica Cyrne, e que nos permite, por exemplo, realizar cirurgias ao vivo com visualização em directo na sala de formação.

A sala de formação tem capacidade máxima para 18 alunos e os cursos são construídos com componente teórica e prática.

Disponibilizamos aos nossos formandos recursos e meios áudio visuais de última geração, como por exemplo, WiFi de alta velocidade, LCD 4K de grandes dimensões, microscópio visualizador HD e vídeo 4K em directo.

Para além destes recursos, dispomos de um laboratório 3D integrado com 5 impressoras 3D e scanner intra-oral digital onde os alunos poderão realizar sessões Hands-On e contactar directamente com o mundo digital.

No caso dos cursos de Cirurgia Guiada de Implantes estes serão leccionados por mim. Nos restantes cursos iremos contar com formadores de vasta experiência nacionais e internacionais.

Fazem também cursos para assistentes dentários ? Havia esta lacuna no sector da formação?

Sim, com a introdução das novas tecnologias e a implementação de um workflow digital em reabilitação oral, também o assistente dentário ganhou um novo papel e passou a desempenhar novas tarefas.

Existe por isso uma necessidade de formação adaptada a estes novos contextos. Sentimos que seria uma mais-valia criar cursos direccionados para os assistentes para que eles adquiram esse know-how e se destaquem nas suas equipas de trabalho.

Com o curso “Assistente Dentário Digital”, criámos a possibilidade dos assistentes dentários evoluírem e se especializarem na sua carreira profissional.

Em Fevereiro está agendada a 1ª Edição do Curso Assistente Dentário Digital e estamos já muito satisfeitos com o feedback que temos tido por parte dos interessados, podemos já dizer que temos mais de 50% das vagas preenchidas.

É com este projecto ambicioso e inovador que a Digital Cyrne irá contribuir para o desenvolvimento da Medicina Dentária Digital em Portugal.

Consulte o artigo da revista saúde oral aqui.

Por que temos aftas?

Utilizamos o nome aftas, para descrever pequenas úlceras na membrana mucosa da boca.

As aftas não são causadas por uma infeção e por isso, não são transmissíveis de pessoa para pessoa, através do beijo, da partilha do mesmo copo ou até mesmo através do contacto entre pessoas.

Então, o que causa o aparecimento das aftas?

As aftas podem ser a consequência de morder ocasionalmente o interior da bochecha, podem ser o reflexo do uso incorreto da escova de dentes ou um dente mais afiado/dentes restaurados.

Em situações em que as aftas são recorrentes, as causas são pouco conhecidas, no entanto, podem existir vários fatores que aumentam esse aparecimento, tais como:

  • Stress e ansiedade.
  • Lesão oral.
  • Alterações hormonais (algumas mulheres desenvolvem aftas no período menstrual).
  • Consumo de alimentos como o chocolate, café, amendoins e morangos, podem potenciar este aparecimento.
  • Tabaco. Quando as pessoas estão em processo de tentativa de deixar de fumar, o aparecimento de aftas pode ser uma consequência da alteração de substâncias na boca, o que é uma situação normal. No entanto, não deixe que este facto seja limitativo da decisão de deixar de fumar. Lembre-se sempre, que as vantagens para a saúde oral são muito maiores e o aparecimento das aftas é uma situação de curta duração.

Por que aparecem recorrentemente aftas?

O aparecimento recorrente de aftas pode ter origem em deficiências nutricionais ou noutras doenças, como:

  • Deficiência de Vitamina B12.
  • Deficiência de Ferro.
  • Doença Celíaca.
  • Doença de Crohn.
  • Síndrome de Reiter (artrite reactiva).
  • Imunodeficiência.

Ou por razões relacionadas à toma de medicação como anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) ou ácidos acetilsalicílico e beta-bloqueadores. Estes são medicamentos que tratam algumas patologias cardíacas e podem ser exemplo do aparecimento de aftas recorrentes.

No entanto, este efeito será sempre temporário, notando-se apenas numa fase inicial da medicação ou quando há aumento da dosagem, porém nunca deve parar a medicação por causa de um problema de aftas, sem consultar o seu médico.

Quais os sintomas que estão associados a este problema?

Pode estar com uma afta, caso:

  • Sinta um ou mais focos de dor no interior da boca, na língua, no palato mole (parte de trás do céu da boca) ou no inteiro das bochechas.
  • Tenha lesões na boca que sejam redondas, brancas ou cinzentas, com uma elevação avermelhada à volta.

Como é possível tratar este problema?

A dor provocada por uma afta geralmente diminui em alguns dias e as lesões geralmente saram, sem tratamento, no espaço de uma ou duas semanas.

Se as lesões forem grandes, muito dolorosas ou mais persistentes, o seu dentista pode prescrever-lhe um líquido de lavagem antimicrobiano ou outra solução para diminuir a dor e a irritação.

Outros artigos que pode considerar interessantes:

Alimentação e saúde oral.

Como usar o fio dentário e a escova de dentes.

Boca Seca.

Fonte: Plataforma saúde oral (online).

O que é o Abcesso Dentário?

O abcesso dentário é o resultado da resposta do corpo a um agente estranho, como por exemplo, bactéria, vírus, parasita ou fungo.

É o local de acumulação do fluido que pode ser branco, amarelo ou esverdeado, ao qual normalmente designamos como pus, rodeado exteriormente por um tecido avermelhado.

O abcesso dentário é a consequência dessa acumulação no meio do dente (polpa).

Quais as suas causas?

O abcesso dentário é uma complicação que surge quando o dente se encontra em desgaste, partido ou lascado, isto acontece porque as aberturas no esmalte permitem às bactérias infetar a polpa do dente, podendo passar para a raiz do mesmo e para os ossos que o suportam.

O que sentimos quando temos um abcesso dentário?

O principal sintoma é a dor de dentes. No entanto, é possível a existência de outros sintomas como: sabor amargo na boca, mau hálito, sensibilidade ao frio e ao quente, ou febre.

Que sinais podemos testar para verificar se estamos com abcesso dentário?

  • Quando morder ou fechar a boca com força, a dor aumenta.
  • As gengivas poderão ficar inchadas e mais avermelhadas e podem ter acumulado líquido da inflamação.
  • Se o Médico Dentista tocar no dente, o paciente sente dor.

Quais os tratamentos para esta situação?

Deve sempre consultar o seu Médico Dentista, pois o objetivo do tratamento será sempre curar a infeção, salvar o dente e prevenir outras complicações.

Outros artigos que pode considerar interessantes:

Tártaro.

Placa Bacteriana.

4 Dicas fundamentais para melhorar a saúde oral.

Fonte: Plataforma saúde oral (online).

O que é a Destartarização e Polimento Dentário?

É muito comum visitar o dentista para fazer uma destartarização. Mas afinal o que é uma destartarização e para que serve o polimento dentário?

Ao longo do tempo acumula-se, nos dentes, Placa Bacteriana e a melhor forma de removê-la é escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia. No entanto, existem sempre zonas de difícil acesso onde a escova não chega e por isso não ficam devidamente higienizadas.

É precisamente nestas áreas que a placa bacteriana pode acumular-se. Ela mineraliza e forma um depósito encrustado e duro que se chama Tártaro, este é impossível de ser removido apenas com a escovagem diária.

Se o tártaro não for removido, vai acumular-se mais placa bacteriana à volta dos dentes e abaixo da linha da gengiva, o que resulta no avanço da doença gengival.

Como reduzir os riscos da doença gengival?

A melhor forma de o fazer é realizando uma limpeza profissional, conhecida como destartarização e polimento dentário.

Como?

A destartarização e polimento dentário é um tratamento realizado pelo seu médico dentista ou higienista.

Este tratamento consiste na remoção de placa bacteriana e tártaro existente à volta dos dentes e gengivas e o polimento suaviza a superfície dos dentes e as pequenas imperfeições em zonas mais rugosas, elimina manchas e deixa os dentes brilhantes, protegendo contra a nova acumulação de placa bacteriana.

Normalmente, o seu médico dentista aconselha-o sobre a frequência com que deve fazer uma destartarização e polimento dentário.

É fundamental fazer regularmente esta limpeza profissional, uma vez que, é um bom complemento a uma boa rotina de higiene oral. Porém deve lembrar-se que este tratamento não substitui a escovagem diária, é apenas um complemento.

Outros artigos relacionados:

Tártaro

Placa Bacteriana.

Dentistas têm um Papel Crucial na Deteção de Doenças.

Fonte:Saúde oral (online).

Extração de Dente: O que Fazer para Diminuir o Desconforto

Quem nunca fez a extração de um dente e sentiu um enorme desconforto.

Depois da extração do dente, as primeiras 24 horas são muito importantes porque é nesse período que se desenvolve um coágulo no local do dente removido. Embora, este coágulo ajude na cicatrização é necessário manter os cuidados por dois ou três dias, consoante as indicações do seu médico dentista.

Quando se extraí um dente é comum que surjam situações de sangramento, inchaço e dor, o que provoca desconforto.

Assim, existem alguns cuidados específicos que devemos ter em consideração, logo após a cirurgia:

  • Não fazer exercício nas primeiras 24 horas, para evitar o aumento do sangramento.
  • Começar a comer só depois do efeito da anestesia, para não correr o risco de morder a bochecha ou o lábio.

Após a cirurgia, como parar de sangrar?

Este é um sintoma que surge após a extração do dente e demora algumas horas para passar. Por isso a sugestão que deixamos é colocar um pedaço de gaze sobre o vazio deixado pelo dente e trincar durante 45 minutos a 1 hora, uma vez que, a pressão exercida ajuda a estancar o sangramento.

Por norma, esta indicação é dada pelo seu médico dentista logo após a extração e por isso o paciente já sai do consultório com a gaze colocada. Neste caso, não é aconselhável trocar a gaze em casa.

Como garantir a cicatrização?

É importante para garantir uma cicatrização correta da gengiva, que se forme o coágulo de sangue no local onde estava o dente. Assim, quando o sangramento parar, são aconselhados alguns cuidados que ajudam a ter o coágulo no local correto, como:

  • Evitar enxaguar a boca com força, escovar o local ou cuspir.
  • Não mexer no local onde estava o dente.
  • Mastigar com o outro lado da boca.
  • Evitar comer alimentos muito duros ou quentes.
  • Não fumar, beber por um canudo ou assoar o nariz.

Estes são alguns cuidados fundamentais que deve fazer durante as primeiras 24 horas após a extração do dente, mas podem e devem ser mantidos durante os primeiros 3 dias para garantir uma melhor cicatrização.

Como reduzir o inchaço?

Para além do sangramento, é comum sentir um ligeiro inchaço da gengiva e do rosto na região em volta do dente que foi removido.

Para aliviar este desconforto deve aplicar compressas com gelo sobre o rosto, no local onde estava o dente. Deve repetir este procedimento a cada 30 minutos, durante 5 a 10 minutos.

Outra sugestão para aliviar o inchaço e que normalmente o paciente gosta é comer gelados. É apenas necessário que tenha em atenção o consumo com moderação e depois de comer o gelado, escovar os dentes sem passar no local do dente extraído.

Como aliviar a dor?

Nas primeiras 24 horas, a dor é muito frequente, no entanto, pode variar de pessoa para pessoa. Por norma, o médico dentista receita anti inflamatórios que aliviam as dores, mas deve sempre fazer a sua toma de acordo com as indicações do médico.

No entanto, se tiver os cuidados necessários que ajudam a parar o sangramento e a reduzir o inchaço, pode não ser necessário o uso de medicação.

Como evitar uma infeção?

Após a cirurgia de extração do dente, deve ter os seguintes cuidados para evitar uma infeção:

  • Escovar os dentes sempre depois de comer – evitando passar a escova no local onde estava o dente.
  • Evitar fumar – os químicos do cigarro aumentam o risco de infeções.

Em alguns casos, quando o médico dentista receita antibiótico, deve fazer a sua toma de acordo com as indicações dele.

Outros artigos que pode considerar interessantes:

Dentistas têm um papel crucial na deteção de doenças.

Cirurgia Guiada de Implantes.

6 Dicas para eliminar o mau hálito.

Fonte: A tua saúde (Online).

Como Usar o Fio Dentário e a Escova de Dentes

Para melhor cuidar da sua saúde oral uma boa higiene é necessário fazer. Mostramos algumas dicas de como usar o fio dentário e a escova de dentes de forma correta.

Fio Dentário

1. Enrole cerca de 40 cm de fio nos dedos médios de cada mão. Segure o fio com os polegares e indicadores.

2. Coloque o fio dentário entre os dentes e deslize suavemente para cima e para baixo. Passe o fio junto à base de cada dente, perto da gengiva. Faça sempre 2 ou 3 passagens em cada dente, dos dois lados. Não se esqueça de usar novos pedaços de fio dentário para cada dente que está a limpar!

Escova de Dentes

Depois de limpar os dentes com o fio dentário é necessário lavá-los com a escova de dentes. Escovar os dentes ajuda a deter a aparecimento de bactérias, que começa após a ingestão de alimentos.

Estas duas ações são a melhor forma de prevenir cáries e problemas nas gengivas.

Aconselhamos a escovar sempre os dentes após as refeições. Se não for possível, deve fazê-lo 3 vezes ao dia:

  • Depois do pequeno almoço.
  • Depois do almoço.
  • E à noite, antes de dormir.

1. Deve colocar a escova num ângulo de 45º para escovar corretamente entre a linha da gengiva e os dentes.

2. Faça movimentos circulares, suaves, de forma a mover a escova para cima e para baixo, ao longo dos dentes.

3. É importante escovar também a parte de trás dos dentes.

4. Para escovar corretamente os dentes são necessários 2 ou 3 minutos e deve fazer várias passagens.

5. Evite escovar os dentes sempre da mesma maneira. Se alternar a forma como escova os dentes garante que nenhum local fica esquecido.

Outros artigos sobre este tema que pode considerar interessantes:

Escova Manual ou Elétrica.

4 Dicas fundamentais para melhorar a saúde oral.

4 Dicas para manter a saúde oral nas férias.

Fonte texto e imagem: Canadian Dental Association. Flossing and Brushing. (Online). Revista saúde oral (online).