Frutos Vermelhos e Saúde Oral

Extrato de frutos vermelhos pode combater bactérias dentárias!

Procedimento do Estudo:

Segundo um estudo levado a cabo pela Universidade de Queensland em Brisbane (Austrália) e a Universidade de Bristol (Reino Unido) os extratos concentrados de frutos ricos em polifenóis, como os mirtilos, podem ser benéficos no combate de determinadas bactérias presentes no biofilme dentário*.

Este estudo teve como finalidade continuar a testar os componentes naturais da fruta enquanto inibidores bacterianos e analisar os seus efeitos na saúde oral.

Os investigadores testaram extratos de elevada qualidade, preparados como moléculas bioativas de três frutos: arrandos, mirtilos e morangos, assim como uma combinação dos extratos destes três frutos, designada por Orophenol, em biofilme de Streptococcus Mutans com 24 horas, e compararam-se com os efeitos de um veículo de controlo.

Resultados do Estudo:

O estudo revelou que concentrações mais elevadas de extrato de arrando reduziam a atividade metabólica da bactéria, a produção de ácido e os biovolumes de bactérias, e resultavam numa estrutura menos compacta do que aquela verificada no biofilme de controlo.

A combinação de Orophenol teve igualmente um impacto significativo, mas ligeiramente inferior ao obtido com os arandos.

Apenas o extrato de mirtilo, no seu nível mais elevado de concentração, reduziu significativamente a atividade metabólica e a acidogenicidade, mas não afetou de forma substancial o biovolume nem a estrutura do biofilme.

O extrato de morango não teve um impacto significativo na atividade bacteriana.

O estudo ressalva que nenhum dos extratos analisados eliminou a bactéria, mas a investigação prossegue sobre o uso de extratos de frutos para a gestão da saúde oral e gestão das bactérias.

A Importância do Consumo de Frutos Vermelhos:

O consumo de fruto vermelhos, como o mirtilo, pode ajudar a regularizar a atividade bacteriana.

Outros artigos que podem ser interessantes ler:

12 Alimentos Amigos de um Sorriso Saudável.

4 Dicas Fundamentais para Melhorar a Saúde Oral.

Dentistas Avisam Sobre o Consumo de Kombucha

*Biofilme dentário – é uma massa que se encontra junto da gengiva, composta por bactérias (habitantes normais da cavidade oral).

Fonte: Revista saúde oral – bimestral Nº 126 – Maio/Junho 2019.

Sensibilidade Dentária

Chega o verão e gostamos sempre de comer gelados, mas muitas vezes sentimos uma dor forte e nem percebemos o que é.

Chama-se sensibilidade dentária!

O que é a sensibilidade dentária?

A sensibilidade dentária é uma sensação de dor aguda e desconforto nos dentes quando ingerimos alimentos e bebidas frias ou quentes.

Para além disto, o consumo excessivo de alimentos acídicos e de bebidas como o sumo de laranja, limão ou gaseificados, pode também causar sensibilidade dentária.

Outras situações como a bulimia e o refluxo gástrico podem provocar a erosão do esmalte e consequentemente sensibilidade dentária, devido à presença de ácido na boca.

Porque temos sensibilidade dentária?

Sentimos sensibilidade dentária quando a dentina, camada inferior dos dentes, fica exposta devida à retração gengival. Como a raiz do dente não está protegida pelo esmalte e contém inúmeros canais ligados aos centros nervosos, ficamos mais susceptíveis a estímulos como calor, o frio ou os doces. Estes alimentos atingem as extremidades nervosas do dente e provocam dor.  

Quais os fatores que podem contribuir para a sensibilidade dentária?

  • Desgaste da superfície dos dentes causado pela idade ou por bruxismo.
  • Erosão dentária provocada por alimentos acídicos que levam ao desgaste do esmalte.
  • Exposição da raiz dos dentes devido a má oclusão, escovagem abrasiva ou retracção gengival.
  • Utilização de próteses e aparelhos ortodônticos.
  • Após o branqueamento dentário (se durante o processo as gengivas não forem devidamente protegidas).
  • Dentes cariados ou fracturados.

Quais são sintomas?

  • Dor aguda, provocada pelo frio, calor ou doces (açúcar).

Quais as formas de prevenção?

A prevenção está numa boa saúde oral. Assim, deixamos-lhe algumas dicas do que deve fazer:

  • Visitar regularmente o dentista para verificação de cáries, destartarização e outros tratamentos preventivos.
  • Lembre-se sempre de escovar os dentes de forma correta: sem força; utilizar uma escova macia; pasta dentífrica rica em flúor e com pelo menos 1350 ppm que contenha agentes adequados à sensibilidade dentária; fazer movimentos circulares e evitar os movimentos horizontais.
  • Reduzir o consumo de bebidas acídicas e gaseificadas.
  • Se tem problemas como o bruxismo, fale com o seu médico dentista para fazer o tratamento adequado.
  • Se quer fazer um branqueamento dentário, fale com o seu médico dentista sobre a sensibilidade dentária.  

Como podemos tratar a sensibilidade dentária?

  • Utilize uma pasta dentífrica adequada à sensibilidade dentária. Normalmente são pastas com mais flúor – 1500 ppm.
  • Pode utilizar gel gengival.
  • Se tiver numa situação de retração gengival, o seu médico dentista pode aconselhar a realização de um enxerto gengival que ajuda a proteger a raíz do dente e consequentemente reduz a sensibilidade.
  • Com o seu médico dentista, podem ser aplicados agentes dessensibilizantes.
  • Em situações extremas de sensibilidade dentária, o seu médico dentista pode aconselhar a realização de um tratamento endodôntico para eliminar o problema.

Quanto ao tipo de tratamento, este vai sempre depender da causa da sensibilidade dentária, pelo que sugerimos sempre que consulte o seu médico dentista.

Os pacientes com sensibilidade dentária apresentam um maior risco de degradação dos seus dentes, se não alterarem os hábitos que levam a esta situação.

Fonte: Plataforma de saúde oral e Sensitive Teeth – American Dental Association (online).

7 Dicas Para Ajudar o Seu Filho a Escovar os Dentes

Todos sabemos a dificuldade que é incentivar e ajudar os nossos filhos a escovar os dentes.

Para que esta tarefa seja divertida e engraçada e para que eles não sintam que escovar os dentes é uma obrigação, deixamos-lhe estas dicas:

  1. Deixe que seja o seu filho a escolher a escova de dentes. Assim, ele(a) vai querer usá-la sempre.
  2. Tenha sempre em casa pasta de dentes de vários sabores e deixe que seja o seu filho a escolher que sabor que utilizar em cada escovagem.
  3. Usa música enquanto escovam os dentes, para que esta atividade seja criativa e divertida.
  4. Uso os super-heróis ou o brinquedo favorito do seu filho e incentive-o a escovar também os dentes também ao boneco.
  5. Escove os dentes juntamente com o seu filho, para dar o exemplo.
  6. Escove os dentes do seu filho logo após o jantar. Não deixe esta atividade para fazer antes de ir para a cama porque nesta altura ele(a) já vai estar cansado e a predisposição será menor.
  7. Faça um elogio pela escovagem! Diga-lhe para mostrar o sorriso brilhante e limpo.  

Para além destas dicas, não é aconselhável “ameaçar” a criança com o dentista caso ele(a) não queira escovar os dentes. Isto vai criar um trauma na criança e consequentemente prejudicar-lhe a saúde oral.

Fale sempre com o seu filho de forma positiva, para que ele sinta que ter uma boca saudável e limpa é fundamental.

Outros artigos sobre saúde oral infantil que pode ter interesse:

Como tratar os dentes das crianças.

Higiene oral na gravidez.

Fonte: Plataforma da saúde oral (online).

Periodontite: Sintomas e Tratamentos

A periodontite é uma doença silenciosa e indolor, por isso é importante saber quais os sintomas associados a esta doença e quais os tratamentos adequados.

O que é a Periodontite?

A periodontite é uma evolução da gengivite, que já falamos aqui. É uma doença que afeta o conjunto de tecidos que incluem a gengiva, o osso e o ligamento periodontal, responsável por manter a firmeza dos dentes no maxilar.

É uma infeção que resulta da acumulação de bactérias nos tecidos da cavidade oral. A acumulação de placa bacteriana e tártaro no sulco existente entre a gengiva e os dentes provoca uma inflamação crónica e destrói todos os tecidos que suportam os dentes.

Para além disso, fatores como a predisposição genética, diabetes e tabagismo podem determinar a progressão e a gravidade do quadro.

Sintomas da periodontite:

  • Sangramento espontâneo durante a escovagem, alimentação ou com o uso do fio dentário.
  • Gengivas inchadas, brilhantes, avermelhadas e doloridas.
  • Mau hálito constante.
  • Presença de pus no espaço gengival próximo ao dente.
  • Dentes com mobilidade.

Tratamentos para a periodontite:

Raspagem
Periodontal
É feita a raspagem, na superfície radicular, para retirar o tártaro, placa bacteriana que endurece a superfície dos dentes.
Este procedimento é o principal na abordagem deste problema.
Controle de
placa
bacteriana
É necessário que o paciente continue, em casa, o controle da placa bacteriana através de uma boa higiene oral.
Terapia de
suporte
É uma fase de manutenção, com consultas periódicas que acompanham a resposta do paciente ao tratamento.
Medicamentos para
periodontite
Durante o tratamento, se o médico considerar adequado e necessário, podem ser administrados comprimidos com o intuito de controlar a infeção.

A periodontite pode ter riscos?

A periodontite pode levar à perda dos elementos dentários e consequentemente prejudicar a mastigação, fala e estética do sorriso.

No entanto, é uma doença que pode estar ligada aos seguintes fatores de risco:

  • Desenvolvimento de problemas de saúde, como dificuldade do controlo sistémico em pacientes com diabetes.
  • Complicações durante a gravidez. A infeção periodontal pode levar a um parto prematuro.
  • Doenças cardíacas, como enfarto do miocárdio e aterosclerose.
  • Outras doenças e infeções.

Como prevenir a periodontite?

  • Manter uma boa higiene oral diária.
  • Escovar os dentes de manhã ao acordar, após as refeições e à noite antes de dormir.
  • Usar o fio dentário, para limpar as regiões que a escova não alcança.
  • Fazer consultas no seu médico dentista para controle e prevenção precoce.

Desta forma evita a evolução da doença e as suas complicações. Se a periodontite não for diagnosticada e tratada antecipadamente torna-se num problema complexo, uma vez que, evolui para a perda óssea, os dentes começam a abanar e acabam por cair, tornando a situação irreversível.  

É uma doença que afeta grande parte da população e é responsável pela maior parte da perda de dentes em adultos.

Outros artigos para leitura:

Sintomas das doenças periodontais.

Quais os sintomas da gengivite.

4 Dicas fundamentais para melhorar a saúde oral.

Pastas Dentífricas: Carvão Ativado

As pastas dentífricas feitas à base de carvão ativado estão agora na moda, com a promessa de remover manchas e branquear os dentes.

Mas será que esta utilização não é prejudicial para a saúde oral dos pacientes?

Segundo a revista Saúde oral os médicos dentistas britânicos desaconselham a utilização destas pastas dentífricas porque podem ser prejudiciais para a saúde oral dos pacientes.

Segundo o artigo disponibilizado pela revista, em Portugal, a Associação de Defesa do Consumidor (DECO) já tinha alertado os consumidores para os perigos escondidos nestas pastas de dentes, explicando que  “o carvão pode desgastar o esmalte, causar o recuo das gengivas e provocar sensibilidade dentária”.

De acordo com o estudo publicado pela revista British Dental Journal  a análise realizada a 50 pastas dentífricas à base de carvão ativado revelam que apenas 8% contêm flúor, o que significa que oferecem uma proteção muito limitada contra as cáries dentárias.

Os investigadores explicam ainda que os materiais à base carvão ativado são, frequentemente, abrasivos e podem danificar o esmalte dentário e as gengivas.

Não há estudos que demonstrem os benefícios do carvão ativado para a saúde oral, nem é claro que a sua utilização seja segura, conforme explicamos neste artigo.

Fonte: Revista online saúde oral.

Fonte imagem: Revista saúde oral.

Facetas para uma Estética Perfeita

As facetas ou lentes de contacto dentárias são uma tendência na medicina dentária, sobretudo para os pacientes que querem ter um sorriso perfeito. Para além disso é um procedimento que resolve várias situações clínicas, como podemos verificar baixo.

Benefícios da colocação de Facetas de Cerâmica ou Lentes de Contacto Dentárias: 

  • Melhoria geral da sua estética dentária.
  • Correção de espaços entre os dentes.
  • Modificação da forma e tamanho dos dentes.
  • Correção da cor dos dentes (dentes manchados ou escurecidos).
  • Melhoria da estética dentária sem aparelho dentário.
  • Substituição da estrutura danificada  dos dentes devido a desgastes, fraturas ou restaurações excessivas. 

As facetas em cerâmicas são umas capas ultrafinas que lhe permitem corrigir imperfeições nos seus dentes naturais mantendo as características do seu sorriso natural.

O sorriso de cada paciente é planeado e desenhado através de um programa digital –  Digital Smile Design – e assim o paciente pode antever uma previsão do resultado final.  Cada faceta é feita individualmente através de um processo altamente rigoroso e de acordo com padrões de elevada qualidade. O nosso principal objetivo é ir de encontro às expectativas do nosso paciente e ajudá-lo a encontrar o seu sorriso perfeito. 

O processo de escolha de cor neste tipo de procedimento é criteriosa e exige um equilíbrio entre a expectativa do paciente e a cor base dos dentes naturais e as características individuais do rosto do paciente.

Ao aliarmos a tecnologia ao rigor nestes procedimentos dentários, permite nos alcançar resultados em harmonia e naturais de acordo com as particularidades de cada paciente. 

A nossa equipa pode ajudá-lo a alcançar o seu sorriso de sonho! Veja o caso da nossa paciente.

Antes
Depois
A nossa paciente com o sorriso que sonhou!

Cirurgia Guiada de Implantes

Com o avanço da tecnologia aliada à medicina dentária, surge o diagnóstico por imagem 3D ou CBCT (TAC digital). O CBCT veio permitir ao médico obter uma imagem real do tamanho do maxilar e da mandíbula, ao contrário das outras imagens obtidas em radiografias convencionais, como por exemplo, as panorâmicas. 

Até à data, a maioria dos casos de implantes eram realizados recorrendo à cirurgia guiada de implantes clássica, em que o médico tem de realizar um corte na gengiva e de seguida, seguindo a sua noção espacial, colocar então o implante. Na cirurgia clássica o médico tem ainda que encerrar a ferida que abriu com pontos, tornando esta técnica bastante invasiva.

Na cirurgia guiada de implantes o Médico, usa o exame digital 3D realizado (CBCT) e um software específico onde seleciona a localização espacial ideal para os seus implantes através de um modelo virtual. Assim estabelece o melhor posicionamento dos seus implantes em todos os seus aspetos. De seguida são produzidas guias através de impressão 3D que o médico irá usar durante a cirurgia transpondo para o ato cirúrgico todo o planeamento executado, evitando assim o erro humano e tornando a cirurgia fiel ao planeamento realizado.

Assim, por comparação temos o seguinte quadro:

Cirurgia Guiada Cirurgia Clássica
Menos sujeita a erros.Mais sujeita a erros.
Cirurgias mais rápidas.Cirurgias mais longas.
Minimamente invasiva.Muito invasiva.
Sem cortes (incisões).Necessário cortes (incisões).
Sem pontos (suturas).Necessário pontos (suturas).
Atraumático.Feridas cirúrgicas grandes.
Sem edemas.Pós operatório geralmente desconfortável.
Menos carga medicamentosa. Necessário maior carga medicamentosa.
Pós operatório indolor.Condiciona a atividade profissional nos dias seguintes à cirurgia.

Etapas da cirurgia guiada de implantes:

1. Aquisição de dados do paciente

Primeiro faz-se à aquisição de dados do paciente através do CBCT e do Scanner intraoral digital.  

2. Software específico

Através do software específico obtém-se um biomodelo virtual 3D exato do paciente

3. Estudo de colocação de implantes

O implantologista identifica estruturas anatómicas nobres e posiciona os implantes com base no biomodelo virtual 3D, sem a necessidade da presença do paciente.

4. Impressão 3D da guia cirúrgica

Através de uma impressora 3D é impressa uma guia cirúrgica.

5. Realização da cirurgia guiada no paciente

Nesta etapa é realizada a passagem da planificação virtual diretamente para o paciente. Neste procedimento, a guia impressa é colocada na boca do paciente e são efetuadas apenas pequenas janelas na gengiva no local onde serão colocados os implantes, sendo colocados com segurança e precisão de forma indolor, pois não há cortes, não há descolamentos da gengiva e não há pontos. Assim conseguimos uma cirurgia mais rápida e mais confortável.

6. Produção das guias cirúrgicas

Na clínica Cyrne as guias cirúrgicas são produzidas em laboratório digital próprio.

7. Fabricação das coroas

Depois de colocados os implantes na boca e após a sua osteo desintegração, são feitas e colocadas as coroas na posição exata em que foram colocadas sobre os implantes na boca.

Outros artigos que possam ser interessantes:

Artigo Publicado na Revista Saúde Oral – Carga Imediata em Cirurgia Guiada

Cirurgia Guiada de Implantes | Técnica

Mais Um Caso de Cirurgia Guiada por Computador

Dentistas Avisam Sobre o Consumo de Kombucha

A kombucha é um tipo de chá fermentada constituída por uma espécie de fungos e bactérias, por ser uma bebida probiótica alcançou uma reputação notável como alternativa aos refrigerantes e bebidas alcoólicas.

Segundo o jornal espanhol, “20minutos” a opinião de alguns dentistas é que o efeito desta bebida fermentada, nos dentes, é semelhante aos refrigerantes.

Embora algumas variedades de sabores estejam carregadas de açúcar, o problema maior consiste na acidez dessa bebida. Segundo os médicos dentistas, o PH ácido da qual é constituída, cria um terreno fértil para que as bactérias se reproduzam.

A Kombucha faz um efeito semelhante ao das bebidas energéticas e refrigerantes com os consequentes perigos de proliferação de cáries, gengivite ou manchas no esmalte do dente.

Como prevenir esta situação?

  • Beba em menos quantidade.
  • Beba de forma a que o líquido não entre em contacto com os dentes (pode até usar uma palhinha reutilizável).
  • Lave a boca depois de beber a kombucha.

Segundo o jornal referido, esta é apenas a opinião dos profissionais do setor, sem a existência de um estudo específico que comprove efetivamente os efeitos colaterais mencionados.

Fonte: pode verificar a notícia na íntegra em www.20minutos.es.

Como Tratar os Dentes das Crianças

Como tratar os dentes das crianças é uma questão que quase todos os pais têm dúvidas. Quando se deve começar a cuidar dos dentes e como fazê-lo?

O momento da erupção dentária (nascimento do primeiro dente) varia de criança para criança. Por exemplo, uma criança pode cortar o primeiro dente com apenas alguns meses, enquanto outra pode não iniciar a dentição até aos 12 meses de idade ou mais.

Embora o tempo possa variar, o nascimento dos dentes acontece por esta ordem:

  • Entre os 6 e os 10 meses entram em erupção os dois dentes da frente (incisivos centrais) que se encontram na mandíbula inferior.
  • Entre os 8 e os 13 meses, surgem os dois dentes da frente (incisivos centrais) no maxilar superior.
  • Dos 8 aos 16 meses nascem, nas mandíbulas superior e inferior, os incisivos laterais, que são os dentes que se encontram ao lado dos incisivos centrais. Os dentes da mandíbula inferior tendem a nascer primeiro.
  • Dos 13 aos 19 meses nasce o primeiro conjunto de molares superiores e inferiores.
  • Entre os 16 e os 23 meses os dentes caninos nascem ao lado dos incisivos laterais, nas mandíbulas superior e inferior.
  • Entre os 25 e os 33 meses nasce o segundo conjunto de molares superiores e inferiores.

Geralmente, a criança média tem seu conjunto completo de 20 dentes de leite com a idade de três anos.

Como cuidar dos dentes do seu filho?

A maior parte dos pais acha que cuidar dos dentes de leite do bebé não é tão importante quanto cuidar dos dentes adultos, simplesmente porque os dentes do bebé são projetados para cair de qualquer maneira.

No entanto, os dentes de leite são muito importantes, pois são eles que permitem que as crianças mastiguem alimentos e falem apropriadamente.

Para além disso reservam os espaços em tecido gengival para futuros dentes adultos.

Por este motivo, é fundamental estabelecer precocemente bons hábitos de higiene oral no seu filho, para evitar o risco de desenvolver cáries dentárias.  

Assim, deixamos-lhe algumas dicas para cuidar dos dentes de leite e desenvolver bons hábitos de higiene oral:

1. Desde o Nascimento

Limpe a boca e as gengivas do seu bebé, com um pano macio.

2. Primeiro Dente

Escove duas vezes por dia com uma escova macia e água.

3. Doze Meses

Leve o seu filho à primeira consulta odontológica.

4. Dezoito Meses

Adicione uma quantidade do tamanho de uma ervilha de pasta dentífrica infantil na escova e ensine-o a cuspir, evitando que engula.

5. Dois Anos e Meio

Introduza o uso do fio dentário, uma vez por dia.

6. Quatro a Cinco Anos

Ensine o seu filho a escovar os dentes, com os movimentos corretos.

7. Seis Anos

Mude para uma pasta dentífrica de adultos e continue a ensiná-lo a cuspir. Comece a ensiná-lo a utilizar o fio dentário.

8. Oito Anos

Nesta fase, permita que o seu filho seja o mais autónomo possível a fazer a higiene oral, utilizando sempre escova e fio dentário. Faça check-ups odontológicos com regularidade.

Os dentes de leite com cáries precisam de tratamento odontológico profissional e em muitos casos requerem tratamento especializado num hospital, com anestesia geral. Ignorar uma boa prática de higiene oral, desde os primeiros meses de vida, faz com que os dentes de leite se deteriorem causando dor na boca, abscesso dentário e problemas com os dentes ao redor. Esta situação pode afetar a alimentação, o sono e consequentemente pode retardar o crescimento.

Lembre-se de consultar sempre o dentista e faça um acompanhamento regular para evitar preocupações maiores.

Artigos relacionados e que podem ser do seu interesse: Higiene oral na gravidez.

Fonte: Better health channel online.

Bruxismo

O que é o bruxismo?

O bruxismo é um hábito que afeta cerca de 8 a 10% da população. É o hábito de ranger ou apertar os dentes, muito frequente durante a noite e resulta de uma contração involuntária dos músculos dos maxilares.

No entanto, o bruxismo também se manifesta durante o dia. É caracterizado pelo apertar involuntário dos dentes e mandíbula, em reação a certos estímulos.

Assim, é possível considerar duas formas distintas de bruxismo:

Bruxismo diurno

É uma atividade semi voluntária da mandíbula e caracteriza-se pelo apertar dos dentes enquanto o indivíduo se encontra acordado. Neste caso, geralmente não ocorre o ranger dos dentes. Esta situação pode estar relacionada com um tique, hábito ou uma reação ao stress.

Bruxismo noturno ou do sono

É uma atividade inconsciente de ranger ou apertar os dentes, com produção de sons, enquanto o indivíduo está a dormir. Neste caso, o bruxismo do sono cria tensões ao nível das articulações temporomaxilares, provocando o desgaste destas articulações e consequentemente dores de cabeça. Ranger os dentes provoca o seu desgaste, afetando assim a sua integridade e a saúde oral.

Causas do bruxismo:

Para o bruxismo diurno, não está completamente esclarecida a verdadeira causa. Tem origem no sistema nervoso central, mas é uma doença multifatorial que depende de vários fatores, porém considera-se que esteja associada a fatores de risco como o stress e ansiedade.

Para o bruxismo noturno, os estudos demonstram que durante as crises de bruxismo ocorre um aumento da atividade cardíaca, respiratória e muscular, o que permite constatar uma relação entre os mecanismos do sono e o bruxismo.

Sintomas:

As manifestações destes movimentos involuntários e descoordenados dos maxilares surgem a três níveis: nos próprios dentes, nos músculos e na articulação.

Os músculos estão em hiperatividade e isso leva à fadiga e à dor, provocando os seguintes sintomas:

  • Acordar cansado.
  • Dor de cabeça.
  • Mandíbula com dor e movimento limitado.
  • Desconforto na articulação temporomaxilar
  • Dores nos músculos da face
  • Rigidez dos ombros
  • Limitação dos movimentos de abertura da boca
  • Perturbações do sono
  • Desgaste do esmalte dos dentes 
  • Fratura de peças dentárias

Principais fatores de risco para o bruxismo:

  • Ansiedade.
  • Stress físico e emocional.

Como tratar o bruxismo?

Quanto ao bruxismo noturno, as consequências podem ser controladas com a utilização de uma goteira de proteção dentária durante o sono, de forma a proteger os dentes e assim reduzir a atividade muscular.

É igualmente importante o acompanhamento dentário com um médico especialista em ortodontia de forma a fazer uma correta articulação dos dentes do maxilar superior e inferior

Outras abordagens comportamentais podem ser utilizadas como a psicanálise, auto-sugestão, hipnose , relaxamento progressivo e meditação.

Como prevenir o bruxismo?

A forma de prevenir o bruxismo é a utilização de técnicas de relaxamento que ajudam a diminuir os níveis de ansiedade, por exemplo, relaxar antes de dormir, tomar um banho de água quente, ouvir música calma ou ler um livro.

Consulte sempre o seu médico dentista ou pediatra (no caso do bruxismo infantil) para uma avaliação mais detalhada.

Por norma, as crianças sofrem de bruxismo até à adolescência. A maioria das crianças deixa de ranger e apertar os dentes quando os dentes de leite são substituídos pela definitiva.

Fonte: The Bruxism Association (online).