Cirurgia Guiada de Implantes

Com o avanço da tecnologia aliada à medicina dentária, surge o diagnóstico por imagem 3D ou CBCT (TAC digital). O CBCT veio permitir ao médico obter uma imagem real do tamanho do maxilar e da mandíbula, ao contrário das outras imagens obtidas em radiografias convencionais, como por exemplo, as panorâmicas. 

Até à data, a maioria dos casos de implantes eram realizados recorrendo à cirurgia guiada de implantes clássica, em que o médico tem de realizar um corte na gengiva e de seguida, seguindo a sua noção espacial, colocar então o implante. Na cirurgia clássica o médico tem ainda que encerrar a ferida que abriu com pontos, tornando esta técnica bastante invasiva.

Na cirurgia guiada de implantes o Médico, usa o exame digital 3D realizado (CBCT) e um software específico onde seleciona a localização espacial ideal para os seus implantes através de um modelo virtual. Assim estabelece o melhor posicionamento dos seus implantes em todos os seus aspetos. De seguida são produzidas guias através de impressão 3D que o médico irá usar durante a cirurgia transpondo para o ato cirúrgico todo o planeamento executado, evitando assim o erro humano e tornando a cirurgia fiel ao planeamento realizado.

Assim, por comparação temos o seguinte quadro:

Cirurgia Guiada Cirurgia Clássica
Menos sujeita a erros.Mais sujeita a erros.
Cirurgias mais rápidas.Cirurgias mais longas.
Minimamente invasiva.Muito invasiva.
Sem cortes (incisões).Necessário cortes (incisões).
Sem pontos (suturas).Necessário pontos (suturas).
Atraumático.Feridas cirúrgicas grandes.
Sem edemas.Pós operatório geralmente desconfortável.
Menos carga medicamentosa. Necessário maior carga medicamentosa.
Pós operatório indolor.Condiciona a atividade profissional nos dias seguintes à cirurgia.

Etapas da cirurgia guiada de implantes:

1. Aquisição de dados do paciente

Primeiro faz-se à aquisição de dados do paciente através do CBCT e do Scanner intraoral digital.  

2. Software específico

Através do software específico obtém-se um biomodelo virtual 3D exato do paciente

3. Estudo de colocação de implantes

O implantologista identifica estruturas anatómicas nobres e posiciona os implantes com base no biomodelo virtual 3D, sem a necessidade da presença do paciente.

4. Impressão 3D da guia cirúrgica

Através de uma impressora 3D é impressa uma guia cirúrgica.

5. Realização da cirurgia guiada no paciente

Nesta etapa é realizada a passagem da planificação virtual diretamente para o paciente. Neste procedimento, a guia impressa é colocada na boca do paciente e são efetuadas apenas pequenas janelas na gengiva no local onde serão colocados os implantes, sendo colocados com segurança e precisão de forma indolor, pois não há cortes, não há descolamentos da gengiva e não há pontos. Assim conseguimos uma cirurgia mais rápida e mais confortável.

6. Produção das guias cirúrgicas

Na clínica Cyrne as guias cirúrgicas são produzidas em laboratório digital próprio.

7. Fabricação das coroas

Depois de colocados os implantes na boca e após a sua osteo desintegração, são feitas e colocadas as coroas na posição exata em que foram colocadas sobre os implantes na boca.

Outros artigos que possam ser interessantes:

Artigo Publicado na Revista Saúde Oral – Carga Imediata em Cirurgia Guiada

Cirurgia Guiada de Implantes | Técnica

Mais Um Caso de Cirurgia Guiada por Computador